Corrida contra o golpe

mapademocracia

A jovem democracia brasileira ainda tem muito o que caminhar na direção de mais direitos e muito mais representatividade e participação social na política. Para isto, precisamos derrotar o golpe!

O limite do ódio é sua falta de proposta. Há entretanto os que pretendem construir alternativas comuns e fazer renascer um projeto coletivo de nação soberana e democrática capaz de seguir em frente com as mudanças estruturais que reduzem nossa desumana desigualdade.

A democracia resistirá para avançar. O que parece ser o fim é só um novo começo. A mudança é de cultura política e implica a participação de todos nós. Seja a mudança que deseja ver na política. Vem pro Mapa da Democracia.

 

Publicado em golpe | Deixe um comentário

Autópsia da obra de Chatô

chato

Quem sai do elevador no segundo andar do prédio da Avenida Getúlio Vargas, 291, no bairro Funcionários, em Belo Horizonte, e vira à direita, a caminho da catraca que separa a redação do jornal Estado de Minas do resto do mundo, dá com um retrato, esgarçado pela passagem do tempo e pelo desmazelo, de Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo, o personagem a quem chamei de o Rei do Brasil na biografia que escrevi e foi transformada em filme com a direção de Guilherme Fontes.

Antes de morrer, Chatô fez o possível para evitar que seu império de comunicação ficasse nas mãos de sua família e fosse dilapidado pela falta de profissionalismo. Criou um condomínio e deu o poder aos funcionários de confiança. Porém, os anos passaram e hoje quem comada os Diários Associados é a família Teixeira da Costa.

O quinhão da família da histórica cidade de Santa Luzia veio de Geraldo Teixeira da Costa, o Gegê, que comandava o Estado de Minas à época de Chatô. Gegê morreu jovem ao ser baleado por seis tiros de cartucheira na porta de sua mansão. As balas foram disparados pelo pai de uma adolescente de 15 anos que o comandante dos Associados em Minas havia seduzido. A adolescente trabalhava na casa dele como doméstica.

Álvaro Teixeira da Costa, o filho de Gegê, é o diretor-presidente dos Diários Associados. Dr. Álvaro, como gosta de ser chamado, é engenheiro de formação e foi durante muitos anos diretor industrial dos Associados. Com habilidade política conseguiu costurar com os outros condôminos e assumir o grupo em todo o país.

Quem manda de fato no grupo, porém, é o filho de Álvaro; Geraldo Teixeira da Costa Neto, o Zeca, como gosta de ser chamado. Zeca é um jornalista que nada fez de grandioso na profissão. Na alta sociedade de Belo Horizonte e é conhecido por duas paixões que beiram o fanatismo: Aécio Neves e o Clube Atlético Mineiro.

Pai e filho ditam as regras de um grupo que flerta com a bancarrota e representam tudo que Chatô não queria. Os Associados se tornaram uma empresa familiar. A ruína acontece por vários motivos, que vão da crise mundial ao modelo de negócio. Mas é inegável que a gestão errônea contribui para a derrocada do grupo.

A disputa entre funcionários e patrões deu visibilidade às cicatrizes expostas dos Diários Associados. Aquele que um dia foi o maior império de comunicação do país enfrenta uma profunda crise econômica. O mês de janeiro está no fim e os trabalhadores da TV Alterosa (afiliada do SBT em Minas Gerais) e do Jornal Estado de Minas ainda não receberam o décimo-terceiro salário.

Fosse apenas o atraso do salário, talvez os funcionários tivessem suportado, fortes que são e habituados a levar pancadas. Mas somam-se ao débito vários atrasos nos repasses de FGTS, INSS, horas extras não pagas e um rosário de acintes à legislação trabalhista. O descaso foi tanto que os funcionários da Alterosa e Estado de Minas fizeram uma paralisação geral no dia 28 de dezembro do ano passado.

Diante da falta de proposta para o pagamento os jornalistas do Estado de Minas (principalmente os repórteres) cruzaram os braços no dias 14 e 15 de janeiro. Se não foi algo inédito é surpreendente.

Quem vê de fora talvez não compreenda o que representa jornalistas fazerem greve. Não é comum. As opções de trabalho são poucas, muitos não se veem como trabalhadores e se julgam parte de uma elite, apesar de seus contracheques mostrarem que estão longe disso. O que os jornalistas dos Associados fizeram é algo histórico para a atual geração. De acordo com o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, sabe-se de duas greve. Uma no início da década de 1990, dos trabalhadores da Rede Globo e outra, em 1963, dos funcionários dos Diários Associados.

Os funcionários, aliás, não podem ser acusados de radicais. Seus representantes sindicais participaram de mais 40 audiências de mediação. A intransigência dos condôminos dos Associados se escora em uma ameaça de redução de 30% da folha pagamento do grupo, o que representará um imenso corte no número de funcionários e, é claro, serve como ameaça para intimidar os jornalistas a não seguirem com as paralisações.

Acompanho de perto os movimentos em Minas Gerais e, se escrevesse uma edição atualizada de “Chatô”, uma das cenas que poderia ilustrar bem a atual conjuntura teve como cenário a Avenida Assis Chateaubriand, uma das principais de Belo Horizonte, onde está a sede da TV Alterosa.

No dia 29 de dezembro, uma manifestação dos funcionários na porta da TV Alterosa, inteiramente pacífica, foi surpreendida pela chegada de mais de cem policiais militares do Batalhão de Choque. Segundo informação dos próprios militares, eles foram chamados por um funcionário da empresa, que ainda não foi identificado pelo comando dos Diários Associados.

Se chamar a polícia para bater em jornalistas ainda não é o fim, é algo muito próximo disso. Aos meus colegas de profissão desejo apenas que não esmoreçam.

Fernando de Morais

Publicado em cultura digital | Deixe um comentário

Venício Lima, Requião e Luciana Santos debatem mídia a "Cultura do Silêncio"

No dia 3 de agosto, Venício Lima visita a sede do Barão de Itararé (Rua Rego Freitas, 454, conjunto 83 – República), em São Paulo, para lançar seu novo livro, Cultura do silêncio e democracia no Brasil: Ensaios em defesa da liberdade de expressão (1980-2015) (Ed. UnB). Em debate sobre ‘a mídia e a cultura do silêncio’, o estudioso terá a companhia do senador Roberto Requião (PMDB-PR) e da deputada Luciana Santos (PCdoB-PE). A atividade, marcada para as 19h, é aberta ao público.
A comunicação e a defesa da liberdade de expressão são temas recorrentes na extensa obra de Venício Lima. Composto de 20 ensaios, Cultura do silêncio e democracia no Brasil traz uma reflexão profunda sobre o tema, sempre sob a ótica da democracia, princípio historicamente ausente quando se trata da mídia no Brasil.
Confira as resenhas de Emiliano José e Tereza Cruvinel sobre a obra no site do Barão de Itararé (clique aqui).
Fonte: Barão de Itararé
Publicado em Comunicação | Deixe um comentário

Atualização das datas dos próximos encontros estaduais

Agosto
22 Goiás
28 e 29 Distrito Federal
Setembro
25 e 26 Bahia
Outubro
02 e 03 Minas Gerais
10 e 11 Ceará
16 e 17 Pará
23 e 24 Rio Grande do Sul
Novembro
06 e 07 Rio Grande do Norte
13 e 14 Santa Catarina
20 e 21 Mato Grosso
27 e 28 Amazonas
Dezembro
04 e 05 Maranhão
11 e 12 Amapá
ANO DE 2016
Fevereiro 
19 e 20 Rio de Janeiro
26 e 27 Mato Grosso do Sul
Março
   
04 e 11  Sergipe 
11 e 12 Tocantins
Publicado em BlogProg | Deixe um comentário

Barão de Itararé promove oficina de projetos culturais

O Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé realizará na próxima quarta-feira (22/07), às 18h30, uma oficina de projetos culturais para estimular a participação de entidades e coletivos do movimento social em editais promovidos pelo poder público.

A ideia é que as oficinas acompanhem os editais abertos e aconteçam de forma dirigida para que as entidades tirem dúvidas específicas do texto já publicado e que, a partir da oficina, reúnam condições concretas para a inscrição do edital.

O primeiro tema da oficina será em torno dos três editais que estão abertos e encerram as inscrições no dia 18 de agosto. Os editais são classificados em três temas: Mídia Livre, Cultura de Rede e Cultura Indígena.

De acordo com a integrante do Barão, Maria Cláudia Oliveira Paiva, um projeto bem planejado e bem escrito é muito bem visto por profissionais que analisam as propostas para futuros financiamentos.

“Essa etapa do projeto é importante não só na hora em que vamos submetê-lo às exigências de editais e financiadores, mas toda a sua descrição servirá como diretriz durante todo o processo de implementação”, afirmou Maria Cláudia.

A atividade será aberta para interessados no tema, entidades de cultura, movimentos sociais e popular, entidades estudantis e comunitárias. Coletivos que não têm cadastro de pessoa jurídica também podem participar, já que os editais também contemplam essa modalidade.

Serviço:
Oficina de Projetos Culturais – Tema: Editais: Mídia Livre, Cultura de Rede e Cultura Indígena
Quando: 22 de julho – 18h30
Local: Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé
Rua Rego Freitas, 454, 8º andar.
Contato: 3159 -1585

Publicado em projetos culturais | Deixe um comentário

Atualização das datas dos próximos encontros estaduais

Seguem as datas atualizadas dos próximos encontros estaduais de blogueiros e ativistas digitais:
Agosto
14 e 15 Sergipe
22 Goiás
28 e 29 Distrito Federal
Setembro
11 e 12 Rio Grande do Sul
25 e 26 Bahia
Outubro
02 e 03 Minas Gerais
10 e 11 Ceará
16 e 17 Pará
23 e 24 Rio de Janeiro
Novembro
06 e 07 Rio Grande do Norte
13 e 14 Santa Catarina
20 e 21 Mato Grosso
27 e 28 Amazonas
Dezembro
04 e 05 Maranhão
11 e 12 Amapá
18 e 19 Mato Grosso do Sul
ANO DE 2016

Março
11 e 12 Tocantins

Publicado em BlogProg | Deixe um comentário

Mídia, Golpe e Ditadura: Ontem e Hoje

Hoje, sexta-feira (3), a partir das 19h, o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé reúne um time de peso para debater Mídia, golpe e ditadura: ontem e hoje: Emiliano José (Secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações) e os jornalistas e escritores Palmério Dória, Hildegard Angel e Fernando Morais discutirão o papel da mídia desde a queda de João Goulart e os anos de chumbo até a oposição sistemática dos meios de comunicação ao processo de transformação que o país atravessa nos últimos anos.
Além do bate-papo, acontecerá uma ‘cachaçada’ para celebrar o lançamento dos livros Golpe de Estado (Geração Editorial), escrito por Palmério Dória e Mylton Severiano, e Lamarca – O capitão da guerrilha (Global Ed.), de Emiliano José.
O evento será transmitido ao vivo. Acompanhe por aqui.

http://zplayer.info/gerador3w/player.php?width=640&height=360&autoplay=1&controles=1&skin=bekle&share=1&url=rtmp://srv6.zoeweb.tv/z393-live/stream&tipo=1&thumb=

Publicado em golpe | Deixe um comentário

Calendário dos Encontros Estaduais de Blogueiros e Ativistas Digitais

Novo calendário dos Encontros Estaduais de Blogueiros e Ativistas Digitais. Neste último final de semana realizamos o ‪#‎3ParanáBlogs‬ que com contou com a presença de mais de 100 pessoas e 3000 pessoas que assistiram ao vivo pela Internet.
Mais informações sobre o evento, acesse o site do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, www.baraodeitarare.org.br
Datas Atualizadas:
Julho
17 e 18 Amapá ( a confirmar )
Agosto
07 e 08 Tocantins
14 e 15 Sergipe
22 Goiás
28 e 29 Distrito Federal
Setembro
11 e 12 Rio Grande do Sul
18 e 19 Mato Grosso do Sul
25 e 26 Bahia
Outubro
02 e 03 Minas Gerais
10 e 11 Ceará
16 e 17 Pará
23 e 24 Rio de Janeiro
Novembro
06 e 07 Rio Grande do Norte
13 e 14 Santa Catarina
20 e 21 Mato Grosso
27 e 28 Amazonas
Dezembro
04 e 05 Maranhão

Publicado em BlogProg, Encontro de Blogueiros e Ativistas Digitais | Deixe um comentário

Acompanhe ao vivo o #3ParanáBlogs

Começa hoje o 3º Encontro de Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná.

Acompanhe ao vivo por aqui.

http://livestream.com/accounts/9579554/events/3763381/player?width=560&height=315&autoPlay=true&mute=false

#3ParanaBlogs

Publicado em Encontro de Blogueiros e Ativistas Digitais | Deixe um comentário

Documentário denuncia as violências sofridas pelas meninas Kalungas

O documentário “Calungas livres da escravidão, escravas de abusos” denuncia as violências (físicas, sexuais, trabalho infantil, tráfico de pessoas e adoções ilegais) cometidas contra meninas da comunidade quilombola Kalunga.

Fonte: Blog Educar sem Violência

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário